horizonte de cinema

Quando recuperei o “Dicionário dos Cineastas” de Georges Sadoul, não resisti a espreitar o resto da colecção: é uma mania! Sempre que chega um livro antigo à Pó uma das primeiras coisas que faço é ver a que colecção pertence e ler os títulos que a compõem. Não gosto de coleccionar coisas, mas sim de as descobrir, ficar a conhecer, escolher o que me interessa e saber que destas descobertas nascem muitas outras, uma espécie de trama livresca que vou tacteando.

Desta vez, e apesar de já conhecer a colecção “Horizonte de Cinema”, caíram-me os olhos no nº11 – “Do Cinema”de Jorge Luís Borges e Edgardo Cozarinsky, confirmando que me escapou nos anos em que trabalhei na Barata. Nessa altura, a secção de cinema era bem recheada e esta colecção uma presença habitual das estantes, mas não me lembro dele.

Depois de uns dias de espera e pela módica quantia de  4.48 euros, li um dos mais interessantes (e sucintos) textos sobre Borges – ” Magias Parciais da Narrativa”* de Edgardo Cozarinsky. Só este texto justificava a felicidade do achado, mas há mais, muito mais.

*”O cinema (ou melhor, uma ideia de cinema) aparece associada em Borges à prática da narração ou até à própria possibilidade de abordar a narração. Aparece, também, como material de leitura, como um dos inumeráveis motivos de reflexão que o universo prodigaliza. (…)”

“Do Cinema”de Jorge Luís Borges e Edgardo Cozarinsky, Livros Horizonte, 1983.

Invasión de Hugo Santiago Muchnik, com argumento de Jorge Luis Borges y Adolfo Bioy Casares, 1969.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s