estática

Os capangas do Primeiro à solta na universidade, o morre que é muito mais barato de uma comissão que se diz “ética”, os headlines dos jornais que leio sucedem-se no monitor como murros no estômago,  deixam-me zonza e mal-disposta. Vou para a Pó, no quarto autocarro que passa, uma hora de espera, entalada, sem respirar, os anteriores nem abriram as portas,devia ter ido a pé, regresso a casa e um edifício público aqui bem perto, encontra-se rodeado por carrinhas da polícia, fardas azuis espalhadas por todo o lado, olhares suspeitos, estou à beira do vómito, trago o rapaz pequeno da escola pela mão e concentro-me em todas as histórias que ele conta, esforço-me por pensar apenas nisso, só isso. Não me apetece escrever, não me apetece nada, estou só enojada.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s