Barateira

De tarde, passo em frente à Barateira e fico a olhar para o meu reflexo na montra, agora forrada com papéis brancos. Recordo-a recheada de livros e fico a ver-me brilhar ao sol, reflectida nos vidros, parada, sem reacção, triste.

2 thoughts on “Barateira

  1. As vezes, simplesmente, você me faz delirar com seus escritos e imagens. Ainda bem que descobri essa paisagem. rs
    Que outubro seja feito de dias felizes por aqui.

  2. Tantas coisas que descobri por lá! Não tendo mais que quinhentos paus mas a coragem de enfrentar o pó e pedir ao senhor se não se importava de ir buscar a escada só para eu ver o que era aquele! Era também preciso coragem para andar de cócoras que era a única maneira de vasculhar apropriadamente as pérolas de sabedoria que podíamos inadvertidamente passar sem ver e que talvez pudéssemos levar… porque se os de poesia me davam pela cintura, os de Filosofia roçavam o chão!… Por fim, entre os que se desarrumavam e a contabilidade a que os poucos escudos obrigava, passava-se muito mais de metade da tarde!… O prazer vinha à noite, quando à cabeceira se manuseavam as pérolas de edições esquecidas e se apreciavam as nossas aquisições: o diferente cheiro, a textura e a cor do papel, e o vinco, mais ou menos vigoroso dos tipos, concorrendo com o conteúdo para deixar em nós mais indelével o vício da leitura!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s