do presente

IMG_1801

“(…)-Amanhã!-repetiam, com dúvidas…Para eles também o amanhã estava longe, não tinha muito sentido um amanhã como aquele. No fundo, todos tratávamos de viver uma hora mais, e uma só hora num mundo onde tudo acabara de ficar reduzido ao assassínio já era, em si, um fenómeno. (…)”.
Encontro nas páginas de “Viagem ao Fim da Noite” o sentido dos dias que correm, a impossibilidade de imaginar um futuro.

“Viagem ao Fim da Noite” de Louis-Ferdinand Céline, tradução de Aníbal Fernandes, Ulisseia.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s